Ir direto para menu de acessibilidade.

Perguntas Frequentes

O Programa de Mestrado Profissional em Educação Tecnológica é reconhecido pelo MEC?

Sim. O Programa foi recomendado pela CAPES, conforme publicação no D.O.U. de 11/04/2014. 

Reconhecimento do curso, conforme Portaria n. 018, em 11/01/2017, publicado no Diário Oficial da União (D.O.U.). Endereço eletrônico do reconhecimento: http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=11/01/2017&jornal=1&pagina=22&totalA Homologação do Parecer CNE/CES 267/2014. Aprovação dos Resultados do CTC-ES 151.

Renovação do Reconhecimento, conforme Portaria 609, de 18/03/2019, publicado no Diário Oficial da União (D.O.U). Endereço eletrônico da renovação do reconhecimento: http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=18/03/2019&jornal=515&pagina=63 Homologação do Parecer CNE/CES 487/2018 - Avaliação Quadrienal 2017

As notas de cursos reconhecidos variam de 3 (nota mínima) a 7 (nota máxima). Cursos não reconhecidos recebem nota 1 ou 2.

 

Quais são os objetivos do Mestrado Profissional em Educação Tecnológica?

O Programa tem como objetivos principais a formação de profissionais qualificados em Educação Tecnológica com propósitos concisos de transferir conhecimentos para a sociedade, atender demandas específicas de arranjos produtivos com vistas ao desenvolvimento nacional, regional ou local, além do exercício da prática profissional avançada e transformadora de procedimentos com vistas a atender demandas sociais, organizacionais ou profissionais, expandir as atividades de educação de nível stricto sensu considerando que a modalidade do curso ofertado propiciará novas intervenções por meio da difusão da ciência, da tecnologia e inovação no âmbito da Educação Profissional.

 

Há diferença entre o Mestrado Profissional e o Acadêmico?

Antes de mais nada, o mestrado profissional (MP) é um título terminal, que se distingue do acadêmico porque este último prepara um pesquisador que deverá continuar sua carreira com o doutorado, enquanto no MP o que se pretende é imergir um pós-graduando na pesquisa, fazer que ele a conheça bem, mas não necessariamente que ele depois continue a pesquisar. O que importa é que ele: (1) conheça por experiência própria o que é pesquisar; (2) saiba onde localizar, no futuro, a pesquisa que interesse à sua profissão; (3) aprenda como incluir a pesquisa existente e a futura no seu trabalho profissional. Nada disso é trivial. O terceiro ponto é, por sinal, razoavelmente difícil. Por isso, o MP não pode ser entendido como um mestrado facilitado.

Aqui já está uma diferença importante entre o MP, que pertence à pós-graduação stricto sensu, avaliada pela Capes, e a pós-graduação lato sensu, ou especialização, que não passa pelos critérios rigorosos da Capes. Nota-se que praticamente ninguém faz dois mestrados ou dois doutorados, ao passo que muitos cursam três, quatro especializações. Um dos sentidos da especialização é ser uma atualização de conhecimentos. Já o mestrado, de qualquer espécie que seja, exige que a pessoa pesquise – e é uma mudança que ela faz em sua vida, em sua relação com o conhecimento, como o que os antropólogos chamam uma passagem.

Fonte: https://www.capes.gov.br/images/stories/download/artigos/Artigo_30_08_07.pdf

 

Como posso me inscrever para a seleção do Mestrado em Educação?

O Programa de Pós-Graduação em Educação Tecnológica do IFTM (PPGET) realiza seleção anual para alunos regulares e seleção semestral para alunos especiais. As regras da seleção estão todas descritas no respectivo edital. Acesse o link para maiores informações: http://www.iftm.edu.br/uberaba/cursos/posgraduacao-stricto-presencial/educacao-tecnologica/processo-seletivo/  Dúvidas ou questionamentos sobre futuros processos seletivos podem ser sanados pela COPESE, por meio dos telefones: (34) 3326-1148 ou (34) 3326-1135. 

 

Quantas disciplinas posso cursar como aluno especial?

O aluno regular, devidamente aprovado em processo seletivo, pode solicitar aproveitamento de disciplina(s) cursada(s) como aluno especial. O limite máximo é de até 4 (quatro) disciplinas que podem ser cursadas.

 

Há bolsas para alunos regulares?

O PPGET não garante, até o momento, a concessão de bolsas de estudos para alunos regulares do programa. Todavia, novas políticas do MEC ou da CAPES podem surgir oportunizando aos acadêmicos oportunidades de pleitearem bolsas de estudo.

 

Quantas disciplinas devo cursar ao longo do Mestrado Profissional em Educação Tecnológica?

O Programa consta de disciplinas teóricas, seminários de pesquisa, atividades programadas e de orientação voltadas para a produção e a defesa da Dissertação. O curso terá uma organização curricular compreendendo quarenta e oito (48) créditos, equivalentes a setecentas e vinte (720) horas aulas. Mais informações da organização curricular podem ser encontradas no link a seguir ou no PPC do curso: http://www.iftm.edu.br/uberaba/cursos/posgraduacao-stricto-presencial/educacao-tecnologica/matriz-curricular/

 

Posso ser aluno ouvinte do Mestrado Profissional em Educação Tecnológica?

Não. Não há legislação específica que regulamente estes casos. O PPGET apenas seleciona alunos regulares e especiais por meio de processo seletivo específico aberto à comunidade.

 

Quando eu terminar o Mestrado eu posso me inscrever para uma seleção de Doutorado?

Sim. O aluno que desejar continuar a realizar pesquisas na área de Educação / Educação Tecnológica pode, sem dúvidas, se inscrever para qualquer seleção em nível de Doutorado reconhecido pela CAPES/MEC.

 

O que são disciplinas obrigatórias?

São os componentes curriculares ofertados pelo PPGET que todo aluno regular precisa cumprir durante o curso e, também, ser aprovado (com nota A, B ou C). Cada disciplina equivale a 60h/aula no semestre, o equivalente a 4 (quatro) créditos cada uma. As disciplinas obrigatórias são: Epistemologia e Ciências da Educação; Metodologia e Pesquisa Científica em Educação Tecnológica; e Tecnologia, Informação e Comunicação na Educação. As disciplinas Seminário de Pesquisa I e Seminário de Pesquisa II também são consideradas obrigatórias pelo Programa. As disciplinas obrigatórias estão vinculadas à área temática do curso e visam fornecer a base teórica para subsidiar as discussões dos temas específicos da área de concentração.

 

O que são disciplinas optativas?

São componentes curriculares ofertados pelo PPGET à escolha do discente. O aluno pode cursar mais de uma disciplina optativa durante o curso, sendo necessária, no novo PPC, a integralização de 3 (três) disciplinas desta modalidade.

 

É preciso ser aluno especial antes de ser "Aluno Regular"?

Não. Contudo muitos candidatos a aluno regular optam por cursar uma disciplina como aluno especial para vivenciarem uma experiência que lhes proporcione o contato direto com as várias atividades de uma disciplina de mestrado, uma visão mais próxima das linhas de pesquisa, a prática da produção científica, entre outras questões. Outro aspecto importante, apontado por muitos candidatos, seria o enriquecimento curricular e a interação com os docentes e outros discentes com vistas ao amadurecimento quanto às ideias a respeito do Programa.

 

Ao portador de um diploma de mestrado profissional é possível o acesso ao doutorado?

Obviamente. Conforme observa o diretor de avaliação da CAPES, Prof. Dr. Livio Amaral: “como o mestrado, tanto na modalidade acadêmica quanto na profissional, atende os mesmos preceitos, os títulos são iguais e, consequentemente, os direitos" (Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=14851:nova-portaria-corrige-normas-sobre-mestrado-profissional&catid=217&Itemid=86. Acesso em 02.05.2014).

 

O mestrado profissional conta na hora de prestar um concurso para a carreira docente no ensino superior?

O título de mestre obtido nos cursos de mestrado profissional, recomendados e avaliados pela CAPES, e credenciados pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), tem validade nacional e concede ao seu detentor os mesmos direitos concedidos aos portadores da titulação nos cursos de mestrado acadêmico. (Disponível em: http://www.capes.gov.br/servicos/sala-de-imprensa/36-noticias/2833-capes-regula-a-oferta-de-mestrado-profissional . Acesso em 02.05.2014).

 

O curso oferece bolsas de estudo?

Não. Por ser um mestrado profissional, o curso ainda não recebe cota de bolsas dos órgãos financiadores. Todavia, é possível receber auxílio para participação em eventos nacionais e internacionais com apresentação de trabalho. 

 

O curso tem mensalidade?

Não. O curso é gratuito, somente é cobrada a taxa de inscrição para o processo seletivo. Lembrando que o curso é realizado por um Instituto público federal, portanto, não há cobrança de taxas. No entanto, o aluno é responsável pela aquisição dos materiais de estudo (caderno, livros, etc.) e não é garantido financiamento para custear despesas com a pesquisa.

 

As aulas são presenciais?

Sim. O curso é presencial e as aulas são concentradas nas quintas-feiras e sextas-feiras (matutino e vespertino). O período noturno desses dias deve ser separado pelo aluno para: sessões de orientação, participação em colóquios do Programa, reunião com grupos de pesquisa, reuniões e assembleias do Programa, entre outras atividades.

 

Quando é feito o exame de proficiência de inglês?

O candidato deverá entrar na aba "PROLIF" na página do IFTM para consultar datas de realização do exame e taxas cobradas. Link: http://www.iftm.edu.br/internacional/testes/prolif/. A cópia do certificado de aprovação no exame de proficiência em língua estrangeira deve ser apresentada até um ano após o ingresso como aluno regular, anexa ao pedido de formação de banca para o exame de qualificação.

 

Quantas vezes por ano são realizados processos seletivos para aluno regular e aluno especial?

O processo seletivo para aluno regular é realizado uma vez por ano (no primeiro semestre), para ingresso no mês de agosto. Já o processo seletivo para aluno especial é, em geral, realizado diferentes vezes por ano, sempre antes do início do semestre letivo.

 

Qual é a diferença entre aluno regular e aluno especial?

Aluno especial é o aluno que pode cursar disciplinas do curso de Mestrado sem ter direito à orientação formalizada. Para ser aluno especial o estudante deve participar do Processo Seletivo para Aluno Especial, o qual é realizado duas vezes por ano sempre antes do início do semestre letivo. Caso o aluno especial venha a se transformar em aluno regular, terá direito a aproveitar as disciplinas cursadas no programa.Já o aluno regular é o mestrando propriamente dito, ou seja, é aquele aprovado no Processo Seletivo para Aluno Regular. O aluno regular tem orientação formalizada e deve concluir o curso em até 24 meses.

 

Há algum limite de número de disciplinas que podem ser feitas como aluno especial em disciplina isolada?

Sim. O aluno especial pode cursar disciplinas optativas, após aprovação nos respectivos processos seletivos, todavia não pode cursar nenhuma disciplina obrigatória, participar das disciplinas de seminários de pesquisa, e nem tem direito a orientação.

 

O aluno regularmente matriculado no curso de mestrado e que tenha sido aluno especial em disciplina isolada deve pedir aproveitamento de créditos?

É necessário fazer o pedido de aproveitamento de créditos por meio do preenchimento do requerimento próprio. O requerimento deve ser entregue na CRCA - Coordenação de Registro e Controle Acadêmico. O pedido deve ser feito em até um mês após o ingresso como aluno regular. 

 

Quanto tempo dura o curso?

O curso tem duração máxima de dois anos (vinte e quatro meses), sendo que, no primeiro ano, o aluno realiza os créditos (disciplinas) e, no segundo ano, dedica-se ao projeto de pesquisa, culminando com a redação da dissertação de mestrado. Pode haver prorrogação de, no máximo, seis meses após os dois anos, havendo necessidade de solicitação fundamentada ao Colegiado do Programa.

 

Como eu faço um projeto de pesquisa?

O Projeto de Pesquisa utilizado na seleção deve ser uma proposta inédita de pesquisa, dentro da área de Educação / Educação Profissional / Educação Tecnológica, escrito em linguagem formal - utilizando-se da norma culta da língua portuguesa e contendo os seguintes elementos/partes: Capa, Folha de Rosto, Introdução, Justificativa, Objetivo Geral, Objetivos Específicos, Fundamentação Teórica, Metodologia de Pesquisa, Recursos, Cronograma de Execução e Referências Bibliográficas. Mais sugestões de como realizar um projeto de pesquisa podem ser obtidos pelo vídeo sugerido a seguir: https://www.youtube.com/watch?v=uySBSCNsoCs

 

O que é e como apresento um Produto Educacional?

Para a defesa final da dissertação, o aluno do PPGET também precisa apresentar um produto educacional junto com a dissertação. Em consonância com a CAPES, os produtos educacionais podem ser Mídias Educativas, Propostas de Ensino, Material Textual, Protótipos Educacionais, Materiais Interativos e Atividades de Extensão. Assim, o produto é de natureza educacional, e pode ser, por exemplo, cartilha, guia informativo ou orientador, jogo, aplicativo, sequência didática, webfólio, website, software, plano de gestão, livro didático, livro digital,  exposição, oficina, apresentação artística ou cultural, conjunto de vídeo-aulas, equipamento, etc.

 

Eu preciso ter um artigo publicado em revista científica antes da defesa da dissertação?

O artigo não precisa ter sido publicado, mas, no mínimo, submetido à revista da área. Sendo assim, é necessário lembrar que, junto ao pedido para formação da banca de defesa de dissertação, o discente deverá apresentar o comprovante de protocolo de submissão junto com a cópia de, no mínimo, um artigo completo em co-autoria com seu orientador a uma revista indexada no Qualis (A1 até B2). O artigo deve ser vinculado à dissertação.