Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > IFTM Campus Uberaba > Últimas Notícias > Estudantes do IFTM realizam programa “Inclusão: inovação ou modismo?”
Início do conteúdo da página
Notícias

Estudantes do IFTM realizam programa “Inclusão: inovação ou modismo?”

Os projetos foram desenvolvidos em escolas públicas de Uberaba

  • Por IFTM Campus Uberaba
  • Publicado em 18/12/2017 às 14:57
  • Última modificação 19/12/2017 às 07:50
Integrantes do programa “Inclusão: inovação ou modismo?”
Integrantes do programa “Inclusão: inovação ou modismo?”
Crédito: Aldo Pedrosa

No dia 14 de dezembro, no campus Uberaba, aconteceu a apresentação dos resultados do programa “Inclusão: inovação ou modismo?”. Criado pela segunda turma da pós-graduação lato sensu em Educação Profissional e Tecnológica Aplicada à Gestão de Programas e Projetos de Aprendizagem, com orientação do professor Aldo Pedrosa, docente e coordenador da área de Artes do IFTM, o programa desenvolveu um trabalho multidisciplinar, com foco na reflexão acerca das diversas questões relativas aos processos de inclusão no âmbito da educação contemporânea.

O programa é composto por quatro projetos geridos e executados por diferentes grupos de estudantes da turma da especialização, a saber: “Promoção da inclusão digital em uma escola estadual da cidade de Uberaba (MG)”; “Os tabus na subjetividade de gêneros e papéis sexuais”; “Homofobia, lesbofobia e transfobia: o preconceito em foco” e “Ubuntu: diálogos sobre africanidades em uma escola estadual de Uberaba (MG)”.

As atividades de intervenção pedagógica foram aplicadas em escolas públicas da rede estadual de Uberaba, escolhidas de acordo com suas especificidades. Os trabalhos ocorreram durante todo o ano de 2017.

Segundo o professor Aldo Pedrosa, o programa, que integrou atividades de ensino, pesquisa, extensão e inovação, partiu da seguinte provocação aos estudantes da especialização: o que se tem hoje como “inclusão” está inserido em um processo de inovação educacional permanente ou é apenas um modismo pedagógico que se esgotará em um futuro próximo?

 


Fim do conteúdo da página