Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > IFTM Campus Paracatu > Últimas Notícias > A Biblioteca do IFTM Campus Paracatu homenageia Branca Adjuto Botelho
Início do conteúdo da página
Notícias

A Biblioteca do IFTM Campus Paracatu homenageia Branca Adjuto Botelho

A Biblioteca do Campus recebe o nome da poetisa paracatuense Branca Adjuto Botelho.

  • Por IFTM Campus Paracatu
  • Publicado em 27/11/2018 às 00:00
  • Última modificação 28/11/2018 às 14:24
Na foto: Ronaldo Dilascio, Max Ulhoa, Guilherme Nery, Jhennifer Borges, Nathália Torres, Francisco Botelho, Helen Ulhoa
Na foto: Ronaldo Dilascio, Max Ulhoa, Guilherme Nery, Jhennifer Borges, Nathália Torres, Francisco Botelho, Helen Ulhoa
Crédito: IFTM

Na sexta-feira, dia 23, a Biblioteca do IFTM - Campus Paracatu realizou cerimônia em homenagem a Branca Adjuto Botelho, poetisa paracatuense cujo nome foi escolhido para ser adotado pela biblioteca.

O evento contou com a presença especial do sobrinho de Branca, Francisco Ulhôa Botelho, que agradeceu as homenagens recebidas e falou um pouco sobre a vida dela. Segundo ele, sua tia enfrentou muitos desafios, e apesar das dificuldades da época foi uma pessoa sonhadora e pioneira, pois as mulheres eram criadas apenas para o casamento. Admirador de seus textos, Francisco ainda recitou a poesia “Dualismo”, que na opinião dele é a que mais reflete o jeito de ser de Branca.

Quem também esteve presente para homenagear a poetisa foi Helen Pimentel, Presidente da ALNM - Academia de Letras do Noroeste de Minas.  Para a escritora a escolha é extremamente relevante por se tratar de um nome local e com forte representação na literatura paracatuense. A presidente lembrou que Branca é patronesse  de uma cadeira na academia e leu uma mensagem enviada aos estudantes do IFTM pela jornalista Nágela Caldas, que é a atual ocupante da cadeira que já pertenceu à Branca na ALNM.

Durante a homenagem os estudantes Gabriel Nunes e Ana Júlia declamaram lindas poesias escritas por Branca e que estão presentes no seu livro Simplicidade.

Para a bibliotecária do IFTM Nathália Morais de Torres a escolha de um nome paracatuense reflete a necessidade de ter referências que sejam próximas dos estudantes. “A participação de todos tanto nas sugestões dos nomes quanto na votação foi muito importante para que isso fosse possível. Estamos muito felizes com o resultado e muito agradecidos pela presença de todos nessa linda homenagem”, afirmou à bibliotecária.

O nome de Branca foi sugerido pelos estudantes Jhennifer Borges e Guilherme Nery Oliveira que justificaram a escolha no fato da poetisa ser de Paracatu e uma mulher muito à frente do seu tempo. A escolha final foi definida por toda a comunidade escolar do IFTM (alunos e servidores) através de uma votação realizada no mês de outubro. As outras opções eram o educador Anísio Spínola Teixeira e o físico brasileiro José Leite Lopes.

Mensagem de Nágela Caldas

Prezadas senhoras e senhores,

Caros estudantes do IFTM, bom dia!

Com muita satisfação que fui informada pela presidente da Academia de Letras do Noroeste de Minas, Helen Pimentel, de que a Biblioteca do IFTM receberá, a partir de hoje, o nome da poetisa paracatuense Branca Adjuto Botelho. É com muito orgulho que ocupo a cadeira de Branca na referida Academia de Letras. Parabenizo e agradeço aos diretores e aos alunos deste Instituto por essa linda homenagem. 

Infelizmente, Branca faleceu jovem, mas deixou várias poesias demonstrando todo o seu encantamento pela palavra. São poesias que refletem a sua inocência de menina mulher descobrindo o mundo das letras, dos sentimentos e dos desejos, típicos de uma jovem sonhadora da década de 1930. Após o seu falecimento, a sua mãe, Maria Conceição Botelho, reuniu as poesias da filha no livro “Simplicidade”. 

Assim como Branca, que era uma apaixonada leitora, desejo que vocês tenham ótimos momentos em companhia dos livros e que, por meio deles, possam conhecer outras culturas, viajar sem sair do lugar, compreender melhor o mundo em que vivemos e como chegamos até aqui. Com a leitura, nos tornamos mais reflexivos; com o livre pensamento sendo o fio condutor para descobrir novos textos e escritores. E, sem dúvidas, poderemos nos tornar seres humanos melhores, capazes de nos enxergar como autores da nossa própria história. 

Desejo a vocês uma rica viagem rumo ao conhecimento na Biblioteca Branca Adjuto Botelho.

Um grande abraço a todos,

 

Nágela Caldas, jornalista e membro da Academia de Letras do Noroeste de Minas, hoje mora em Reno, Nevada, nos Estados Unidos.



Assunto(s):
Fim do conteúdo da página