Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > IFTM Campus Avançado Uberaba Parque Tecnológico > Últimas Notícias > Aluna de Licenciatura em Computação conquista segundo lugar no Hackathon – Desafio Covid -19
Início do conteúdo da página
Notícias

Aluna de Licenciatura em Computação conquista segundo lugar no Hackathon – Desafio Covid -19

Evento online foi realizado pelo IFSULDEMINAS

  • Por IFTM Campus Avançado Uberaba Parque Tecnológico
  • Publicado em 22/05/2020 às 00:00
  • Última modificação 22/05/2020 às 15:49
Maria Luísa de Jesus Rodovalho
Maria Luísa de Jesus Rodovalho
Crédito: Maria Luísa de Jesus Rodovalho

Maria Luísa de Jesus Rodovalho, aluna do sétimo período do curso de Licenciatura em Computação do IFTM Campus Avançado Uberaba Parque Tecnológico, Polo Uberaba, ficou em segundo lugar no Hackathon – Desafio Covid-19, realizado pelo Instituto Federal do Sul de Minas.

O Hackathon é uma maratona de programação que reúne designers, programadores e outros profissionais para o desenvolvimento de ideias e soluções inovadoras para um ou vários desafios. Normalmente, ocorre presencialmente, num espaço físico delimitado, em que as equipes são formadas e recebem instruções que irão nortear as atividades a serem desenvolvidas. Mas devido ao cenário atual o evento foi realizado totalmente on-line.

Maria Luísa soube do evento através da divulgação feita pela professora Daniela Resende Silva Orbolato no grupo de WhatsApp do curso e decidiu se inscrever. “ A princípio, por ser aluna da Licenciatura EAD, pensava que não teria mérito para entrar, mas descobri que profissionais da tecnologia, sejam eles professores ou programadores, tem uma grande responsabilidade nesse momento de incertezas”.

Doze equipes, que são formadas de maneira aleatória antes do início da competição, participaram da maratona que durou 96 horas ininterruptas. Cada equipe se concentrou na busca de soluções criativas e inovadoras relacionadas a produção de ideias, planos, ações, produtos e serviços voltados ao enfrentamento da crise do coronavírus.

“A nossa equipe conseguiu se entrosar bem, estávamos engajados e bem alinhados. Percebi que todos nós, em algum momento, tivemos dificuldade em usar uma ferramenta tecnológica, dificuldade em postar conteúdos – tudo tinha que ser entregue com a máxima qualidade – mas um segurava as pontas para o outro e é nesse momento que acontece a valorização do profissional. Foi transformador. Fiquei muito feliz”, conta Maria Luísa.

Todas as equipes foram tutoradas por três mentores com formação nas áreas de saúde, tecnologia e negócios. Além da avaliação constante dos mentores, as equipes fizeram uma apresentação final das suas propostas – através de um pitch em forma de vídeo – a uma banca de especialistas, que avaliaram aspectos como valor econômico ou social e compatibilidade entre as propostas e o problema a ser sanado.

As cinco soluções melhor classificadas receberam um certificado de validação da proposta apresentada e seguem para um processo de aceleração dos projetos (incubadora) com uma empresa parceira do IFSULDEMINAS e tem a possibilidade de conseguir investimento para sua Startup. “Ficamos eu e mais três membros da equipe para o processo de aceleração. Como um dos campeões fomos automaticamente convidados para a incubadora e seguimos em busca de novos desafios. Nesse momento o objetivo é ativar nosso lado empreendedor e, como sou graduada em Administração de Empresas, creio que poderei agregar muito à equipe”.

Em função de uma cláusula de confidencialidade prevista no Edital, as propostas não foram divulgadas. Entretanto a comissão organizadora do evento destacou que todas as ideias propostas atenderam ao objetivo de enfrentamento e redução dos efeitos decorrentes da pandemia e são passíveis de serem implantadas.

Sobre Maria Luísa

Formada em Administração de Empresas pela Unopar, Maria Luísa decidiu fazer o curso de Licenciatura em Computação para poder se tornar professora. “Tenho dois filhos pequenos e, como professora, poderia trabalhar em um período e cuidar dos meus filhos em outro. Mas, depois que ingressei no curso, me apaixonei pela educação tecnológica, pois as ferramentas educacionais transformam o método de aplicação de conteúdos”.

Além da graduação, Maria Luísa faz a Pós-graduação em Educação Profissional e Tecnológica Inclusiva, também oferecida pelo IFTM Campus Avançado Uberaba Parque Tecnológico e ainda é aluna especial do Mestrado Profissional em Educação Tecnológica do IFTM Campus Uberaba.

Ela nos conta que sua maior motivação em participar do Hackathon foi dar visibilidade e destaque ao seu curso EAD. “Em nosso país sofremos muito preconceito por se tratar de uma graduação a distância. Em contrapartida, temos grandes alunos, mentes brilhantes que buscam fazer valer a oportunidade de cursar uma graduação a distância. Seguimos perseverantes nessa caminhada. Meus colegas de faculdade merecem todo o destaque. Sempre me ajudaram e nossa união faz toda a diferença”.

Fonte: https://portal.ifsuldeminas.edu.br/index.php/ultimas-noticias-ifsuldeminas/80-noticias-da-pppi/3507-hackathon-desafio-covid-19-2



Assunto(s):
Fim do conteúdo da página